Hoje o termo nutrição esportiva é totalmente popular. A cada dia cresce o número de profissionais especialistas nessa área, assim como na área de treinamento e medicina esportiva, mas proporcionalmente o Brasil fracassa cada vez mais no cenário esportivo. Duvidam? Aguardem os jogos olímpicos e observem nossa ridícula colocação geral no quadro de medalhas. Se não fossem alguns guerreiros que acima de tudo treinam por amor, “matando um leão por dia”, assessorados por técnicos igualmente capacitados, não teríamos uma medalha sequer.

Se a atividade física é uma necessidade para todas as pessoas, acredito que qualquer profissional deva estar apto a lidar com uma população fisicamente ativa ou pelo menos, estar incentivando as pessoas a praticarem exercício. Lógico que para atletas de alto nível (que infelizmente em nosso país são poucos), é necessário um conhecimento mais aguçado das peculiaridades de cada modalidade e suas demandas nutricionais.

Da mesma forma, o profissional que acompanha um atleta, deve saber lidar com outras fases da vida desse indivíduo. E quando sua atleta ficar grávida, parar de competir, envelhecer ou qualquer outra situação que fuja do mundo esportivo? E se seu atleta levar o pai idoso ou o filho para melhorarem a alimentação? Ou seja, o profissional deve estar apto para lidar com essas situações.
Portanto, a nutrição esportiva é para todos. A nutrição é uma só! Ou será que existe a Nutrição Sedentária para quem não pratica atividade física?

Rodolfo Peres é nutricionista especialista em nutrição esportiva. Atende desde atletas de alto nível a pessoas que simplesmente buscam uma melhor qualidade de vida.